Blog

Dia Mundial do Câncer 2016

3 de fevereiro de 2016 - Por:

Femama participa do Dia Mundial do Câncer 2016

Entre as ações estão um painel colaborativo no Congresso Nacional e um vídeo com especialista esclarecendo dúvidas sobre câncer de mama.

O dia 4 de fevereiro marca o Dia Mundial do Câncer, uma oportunidade para unir pessoas, comunidades e governos e estimular o debate sobre o tema a fim de reduzir os impactos do câncer em todo o mundo. A data é oportuna para disseminar informações a pacientes e à população em geral, incentivar hábitos saudáveis e o diagnóstico precoce e lutar por políticas que aprimorem os índices de cura e controle da doença.

No Brasil, a Femama (Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama) adere à campanha global “Nós Podemos. Eu Posso”, liderada pela União Internacional para Combate ao Câncer (UICC), da qual a Federação faz parte. A campanha visa mostrar que todos, tanto organizações e grupos quanto cada pessoa individualmente, podem tomar ações, muitas vezes simples, para reduzir as mortes evitáveis por câncer. “Mesmo que pareça uma ação pequena, se cada um fizer sua parte, a luta não fica pesada para ninguém e nos aproximamos do objetivo de reduzir os índices de mortalidade por câncer no Brasil e no mundo”, lembra dra. Maira Caleffi, médica mastologista e presidente voluntária da Femama.

Entre as atividades planejadas pela Federação para celebrar esta edição do Dia Mundial do Câncer está a produção de um vídeo informativo em que o dr. Ricardo Caponero, oncologista e presidente do Conselho Científico da Femama, esclarece dúvidas recebidas pelo Facebook. O vídeo será publicado nas redes sociais da instituição no próximo dia 4.

Estão previstas também ações no Congresso Nacional. Nos dias 3 e 4, a Femama disponibilizará um painel colaborativo no Congresso convidando deputados, senadores, assessores, funcionários e visitantes a escreverem sobre como “nós podemos” ou “eu posso” agir para combater o câncer. Durante a intervenção, voluntárias da ONG Recomeçar – Associação de Mulheres Mastectomizadas de Brasília, associada à Femama, explicarão o intuito da campanha a fim de incentivar a reflexão e reforçar o compromisso de autoridades com a questão. O painel estará no Salão Azul do Senado. Além disso, no dia 3, a Femama apoiará ação liderada pela ONG Recomeçar para a composição de um laço rosa humano. Para formá-lo, voluntárias, pacientes e autoridades vestirão uma peça de roupa rosa, às 11h no gramado do Congresso próximo à chapelaria. As ações no Congresso contam com o apoio da Frente Parlamentar de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer, da Secretaria da Mulher da Câmara e da Procuradoria Especial da Mulher do Senado.

A Femama também reuniu em seu site informações e materiais que apontam caminhos para que pessoas e instituições saibam como atuar na luta contra o câncer de mama, além de fomentar a adesão do público à campanha nas redes sociais e de incentivar suas 57 ONGs associadas a desenvolverem ações em suas redes e comunidades.

Saiba como participar nas redes sociais:
Escreva em sua mão ou em uma folha de papel uma mensagem sobre como NÓS PODEMOS ou como EU POSSO ajudar no combate e prevenção do câncer. Tire uma foto da sua mensagem e compartilhe nas redes sociais com as hashtags #?DiaMundialdoCâncer, #?NósPodemosEuPosso e #Femama. A sua foto aparecerá no mural do site worldcancerday.org ao lado de contribuições de outros países e pode inspirar outras pessoas a tomarem atitudes na luta contra o câncer.
Fonte: www.femama.org.br  www.facebook.com/femamabrasil

Sobre a Femama

A Femama – Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama – é uma entidade sem fins econômicos que concentra uma rede de 57 instituições ligadas à saúde da mama, presentes em 17 estados brasileiros e Distrito Federal, representando mais de 1 milhão de cidadãos. A instituição atua na articulação de uma agenda nacional única para influenciar a formulação de políticas públicas de atenção à saúde da mama. Em novembro de 2015, foi eleita titular para uma das composições do Segmento de Patologia do Conselho Nacional de Saúde (CNS), representando Entidades e Movimentos Sociais de Usuários do SUS. Com isso, a Femama terá mais voz no CNS, com direito a voto em todas as pautas propostas que, posteriormente, se convertem em recomendações para o Ministro da Saúde na condução e formulação de políticas públicas. Além disso, a posição habilita a Femama a participar de representações em órgãos como a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e a Comissão Intergestores Tripartite (CIT). Mais informações no site www.femama.org.br

Posts Relacionados

Comentários

Comentários

Leave a Reply